Zika Vírus: Benefícios para famílias com caso de microcefalia

Com o aumento de casos desenfreados de microcefalia – má formação cerebral – em bebês recém-nascidos no Brasil, o Governo Federal lança plano que visa agilizar os testes de confirmação da doença e, por conseguinte, a liberação dos benefícios a que se tem direito. Essa plano busca dar um retorno mais imediato para as mães dos bebês que ainda estão na fila aguardando o diagnóstico da confirmação (ou não) da doença.

Desde o ano passado, o país vive uma epidemia de Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes Aegypit, e há fortes indícios de que ele também seja responsável pela epidemia de microcefalia. Diante desse quadro, o governo necessitou dar respostas rápidas à sociedade, a fim de demonstrar preocupação e empenho no combate ao vírus e as doenças que podem ter alguma correlação com a doença transmitida pelo mosquito.

Nessa semana, os ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome tornaram público o lançamento de uma série de medidas que agiliza esse processo de diagnosticação de mais de 4 mil casos que seguem ainda sem uma confirmação. Além disso, ao agilizar este processo, buscam também acelerar os benefícios e tratamento.

zika-virus-beneficio-governo

Em base, este plano consiste em repassar aos cofres dos governos estaduais e municipais uma verba de R$2,2 mil para cada caso suspeito que for notificado, para que assim as secretárias de saúde dos municípios possam fazer um levantamento abrangente das ocorrências que estão em fase de investigação ou confirmação. Quando confirmados os diagnósticos de microcefalia serem posteriormente encaminhados para a reabilitação. Tudo isso num prazo de até o dia 31 de maio de 2016.

Confira mais detalhes sobre o Zika Vírus

Valor e informação dos benefícios

Essa ação busca ofertar apoio as crianças e famílias, além também da proteção social e encaminhamento para o programa de solicitação de benefício de prestação continuada, no valor de R$880.

Para o Ministro da Saúde, Marcelo Castro, esse plano emergencial será um meio de se ter uma noção muito mais ampla acerca da evolução da epidemia de microcefalia no país e, também, um modo de os gestores dos estados e municípios organizarem-se de modo mais eficaz e imediato para os encaminhamentos necessários que essas crianças e famílias necessitam.

Acredita-se que mais de R$10,9 milhões serão investidos nesse plano e que os retornos, a curto e longo prazo, serão positivos. Para além do combate ao mosquito e buscas por vacinas que possam erradicar as doenças que o mosquito Aedes Aegypit transmite, é preciso pensar em soluções para amenizar àqueles que estão sofrendo com o vírus e suas consequências.

Marque com 5 estrelas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *